Arquivos para categoria: serviço

Exatamente isso amigos. WordPress free foi ótimo enquanto pude aprender a usá-lo, mas já faz algum tempo que tenho meu próprio site e não disponibiliza como blog, apenas exibia as formas de contato e portfólio. Agradeço a todos que visitaram o blog nem que tenha sido por uma única vez e fico lisonjeado pelos que tiveram paciência em voltar. Pois bem, agora o endereço que vocês devem aparecer é esse:

www.itallovictor.com

Pra quem quiser primeiro ler sobre o que falo pode seguir no twitter: @itallo

Anúncios

Primeiramente vamos ao significado de “early adopter”, de forma bem direta e sem frescura é aquela pessoa ou empresa que adota novas tecnologias muito cedo, no lançamento de um produto ou serviço, algumas vezes até antes do previso. Ficou claro? Vamos ver algumas dicas de como conquistar essas pessoas, principalmente se a oferta tem potencial esse público servirá para alavancar seus resultados, de forma positiva, claro.

É cada vez mais difícil conseguir atrair usuários/consumidores para o seu produto. Disputá-los em meio a essa gama de redes sociais disponíveis e o mundo dos aplicativos disponíves na app store da apple e do android é um desafio enorme. Uma segunda etapa desse grande desafio é torná-lo viral, fazer com que grandes portais divulguem espontaneamente, blogs que aprovem e recomendem, ou ainda, comunidades criadas apenas para falar disso, seria ótimo.

Leia o resto deste post »

Como havia chamado a atenção no post anterior, o momento de embarque na volta a Teresina foi decepcionante. Após passar 04h e se encontrar na fila de entrada para o avião, avisam: Senhores passageiros do voo XXXX, favor dirigir-se a sua companhia aérea pois o vôo em atraso os impedirá de pegar conexões.

Pensei, tudo bem, vão nos colocar num voo que ao invés de 01 escala, faça 02, 03, mas com certeza devo chegar lá por volta de 10h da manhã no máximo. No momento era 21h de domingo.

No guichê fomos informados que não daria tempo de chegarmos em nossa conexão e outros voos disponíveis estavam lotados, portanto haveria apenas os voos de 09:30 e 11:30 do dia seguinte, olha que beleza!

Depois de muita confusão entre os que junto a mim se dirigiram ao guichê, aproximadamente 25 pessoas, começaram a remarcar suas passagens. Alguns sabem que a nossa conexão poderia esperar 02 horas em Fortaleza, pois a aeronave aguarda o voo de volta a Teresina, tempo suficiente para praticamente qualquer atraso ser suprido, daí deduzimos, o chato e lamentável overbooking aconteceu. O pior, eles não deram prioridade alguma aos passageiros de um destino mais distante e com menor frequencia de voos, havia idosos e pais que estavam com filhos na cidade destino.

Enfim, para tentar reparar o erro e sendo obrigação da cia. aérea, houve o transfer-in/out até o hotel que estava localizado no Centro, muito bom, com direito a uma ligação DDD ou DDI de 3 minutos e 03 refeições ao dia, no caso ainda conseguimos jantar e no outro dia, antes do embarque marcado para às 11:30, o café-da-manhã.

Daí sim, ao embarcar novamente e após alguns compromissos perdidos na segunda, pois até chegar em casa já não dava tempo para resolver nada o jeito foi dizer que o dia se foi, havia conhecido um novo hotel e não adianta quebrar o barraco, a cia. aérea faz o que quer e sem consultá-lo. Sou administrador de uma agência de viagens e tenho vergonha de afirmar isso.

Tirando esse contratempo, foi a melhor viagem até o momento. O Rio de Janeiro vale a pena.

Continuando o post passado.

O sábado foi de maratona, o dia estava lindo, saímos cedo, pegamos um ônibus – o que não falta são ônibus e vans e são bem afinados com os destinos dos turistas, a passagem custa em média R$ 2,20 – paramos em frente a central do bondinho do Cristo Redentor em Cosme Velho.

Infelizmente a fila estava enorme e pagamos R$ 40,00/pessoa para irmos de van contra R$ 36,00 do bonde. Sem fila e com uma parada a mais de 30 minutos em dois pontos no Heliporto, antes de chegar ao Corcovado. O passeio é quase o mesmo, tirando o glamour do bondinho, sobra tempo e conseguimos aproveitar bem mais.

Dica: chegue cedo lá em cima e poupe tempo, stress em fila do IBAMA, aproveite pra comprar água (1,5L) na farmácia pois no percurso ela fica muito mais cara e leve dinheiro – tem um caixa rápido na farmácia da esquina – pois as vans só aceitam cash e os pontos de alimentação também, apenas lojas de souvenirs aceitam cartão de crédito, há trechos em que há elevadores e escada rolante.

Na volta fomos ao Jardim Botânico, a entrada é R$ 5,00 por pessoa e se estiver de carro mais R$ 5,00 por vaga no estacionamento do Parque. Conhecemos a Casa do Acervo Antônio Carlos Jobim e um pouco da trajetória e pertences do artista, aproveitamos pra levar alguns presentes para familiares na lojinha próxima ao restaurante, este por sua vez possui valores salgados para os mais simples lanches, entretanto se a fome realmente apertar torna-se uma boa opção. O parque é lindo, corredores largos, fontes, arcos, lagos, curiosas espécies da nossa flora e a imponência das palmeiras imperiais chamam bastante a atenção.

Fim de tarde, ainda chegamos a tempo para um passeio no pôr-do-sol no Pão-de-Açúcar no Morro da Urca, ainda sem almoçar, aproveitamos apenas para fazer um lanche na fila mesmo – há uma lanchonete dentro do espaço de atendimento. O passeio custa R$ 44,00 por pessoa, o atendimento e trânsito de pessoas é rápido e organizado, faz apenas 03 meses que mudaram para os bondes atuais e o funcionamento é perfeito, seguro. A primeira parada possui um anfiteatro, restaurante e uma estrutura para aproximadamente 500 pessoas com folga.

A segunda parada é impressionante, a vista perfeita, um passeio que será feito com certeza mais vezes, lá também possui restaurante e conta ainda com loja de souvenirs e uma loja de jóias, tem um senhor que aluga a luneta a R$ 1,00 por uns 10 minutos, muito justo além da visão macro à sua frente, torna-se bem peculiar ver algum ponto da cidade bem de pertinho.

Nosso destino na volta era próximo, ali em Copacabana, então valeu ter pego um táxi – R$ 20,00, pois o dia foi corrido. Almoçamos num boteco que parecia oferecer uma comida feita na hora e comprovamos, foi a melhor comida em toda a viagem, todos self-services ficaram no chinelo, sem falar em franquias e seus enlatados, ou seria a fome que estávamos naquele momento?!

Não demorou muito e ainda aproveitamos a noite, conhecemos a Lapa, uma certa decepção pela falta de conservação do ambiente e descemos mais um pouco até o Boteco da Garrafa, alguns drinks depois e voltamos felizes pois o dia foi produtivo.

Domingo de tirar uma onda, como diria alguns amigos: “Praia de Copa, mó solzão”. Alugamos apenas o guarda-sol a R$ 4,00 – cada cadeira de praia era R$ 2,00. Apreciamos a vista e prometemos voltar mais vezes ao Rio de Janeiro, encantados e satisfeitos, fizemos as malas e ainda aproveitamos para conhecer o Botafogo Praia Shopping, assistimos Bastardos Inglórios e mais uma vez agradecemos por ter dado tudo certo. Até o momento de embarque, que contarei depois pois esse post, também, já ficou extenso demais.

Era nossa primeira visita ao Rio, Eu e @thalitaviana, fizemos o transfer in direto pro evento, mas caímos numa armadilha, o ônibus haveria de passar em no mínimo 6 hotéis até chegar no Rio Centro, local onde aconteceria logo mais a ABAV 2009. O primeiro dia foi pra fazer reconhecimento do gigante Centro de Convenções carioca e seus temas – Mundo, América, Brasil, Eventos – em alguns trechos há “carrinhos de golfe” para nos transportar entre os pavilhões.

Na quinta ficamos para os seminários e no turno da tarde descobrimos o Barra Shopping e seu Expresso Barra – ônibus que praticamente faz o roteiro de um city-tour, passeando pela Lagoa Rodrigo de Freitas, Hipódromo, São Conrado, Downtown, Leblon, Ipanema e Copacabana. Simples assim.

Visitamos ainda o Citá América, shopping onde fica o Hard Rock Café do RJ e aproveitamos o início de noite para conhecer o Downtown, shopping que me chamou a atenção por parecer bastante a uma pequena cidade, fugindo a estrutura padrão de andares de grandes centros de lojas e por ser ao ar livre, gostei bastante.

A sexta foi o dia de seminário pela manhã com o título de “A tecnologia da web a favor do turismo” bem proveitosa para os agentes de turismo presentes e mais do mesmo do que tenho conversado com amigos a respeito da produção de conteúdo e avaliação de marcas pelos consumidores. A tarde muito movimento na feira e troca de cartões enquanto @thalitaviana passeava e aproveitava pra conhecer a cultura, culinária de “todo” o Brasil e América Latina de uma só vez, além de roubar meus cartões para participar de promoções e ganhar brindes, como as 5 ecobags que stands do Rio de Janeiro e Brasília estavam distribuindo.

Uma situação divertida aconteceu na mesma noite, onde frequentamos um bar do calçadão de Copacabana inadequado para, digamos, familiares, mas só tivemos a certeza quando já estávamos consumindo um café quentinho para combater a noite fria. Só essa situação já dava um post, mas a viagem ainda tem mais. A parte da diversão eu conto amanhã.

Pra quem odeia números vale a pena. Pra quem gosta deles, reafirmo em convidar. Mais uma oportunidade para quem tem interesse ou quem trabalha ao lado do profissional de Mídia e quer entender um pouco como é direcionado o trabalho do mesmo.

Clique na imagem para ampliar as informações.

Clique na imagem para ampliar as informações.

Clique aqui para baixar a ficha de inscrição da palestra.

As vagas são limitadas e o melhor, gratuitas. =)
O evento acontece nesse sábado, a inscrição é efetuada por envio de fax ou se preferir deixar a ficha na sede da TV Clube.

guerra khan

Guerra Khan, um jogo de estratégia on line que me surpreendeu, lançaram no mês passado sua versão em português para usuários brasileiros. E recentemente o “Browser Game of the Year” na categoria “Melhor Game de Estratégia”,

O gamer é gratuito, possui um cadastro simples e rápido podendo desde os primeiros cliques já escolher uma das muitas nações disponíveis (Britânicos, Árabes, Russos, Lituanos, Germânicos, outros) para começar a jogar.

Tudo sem instalação, no estilo de jogos de estratégia clássicos como Warcraft, Age of Mithology e afins. Você precisa evoluir seu castelo, conquistando novas áreas e desenvolver seu reino que pertencem a outros jogadores, como todo bom MMOG.

O link do jogo aqui. Eu escolhi os britânicos, então: Save the Queen!