Sabe aquela vontade de ficar mais um pouquinho? Toda edição do Festival de Inverno que de frio só tem um pouquinho é assim. Chega o domingo, último dos 4 dias de evento que acontece há 07 anos na serrana cidade de Pedro II, e todos começam a arrumar a mochila para voltar ao seu cotidiano, grande parte das pessoas num clima bem menos frio em Teresina. A cidade esvazia na mesma proporção que lota o primeiro dia de evento e após shows de Fernanda Takai, Zeca Baleiro, Stanley Jordan, Armandinho e Maria Rita você nem se dá conta que essas 05 atrações são consequência de um festival criado com uma premissa alternativa por onde já passou Hermeto Pascoal e suas execuções mirabolantes que passam por fazer sons num copo d’água. Já não vale mais usar a desculpa que por aqui não ouvimos boa música em um festival que tem a intenção da fuga ao forte regionalismo do nordeste onde predomina o forró e seus compadres de ritmo. E isso nos deixa feliz, por mais que a própria população da cidade aplauda artistas nos quais nunca ouviram falar, como o americano que se apresentou nessa última edição tornando o evento internacional, ou até mesmo nós, que na sua maioria mal o conheçamos sequer temos um álbum completo do seu som peculiar em nossos iPod’s.

Isso é resultado de uma inicitiva conjunta que deve permanecer e prosseguir por todos. As mudanças são perceptíveis em todo o ambiente. A cidade ganhou sinalização e limpeza frequente, pousadas domiciliares foram melhoradas, novas pousadas foram construídas, restaurantes foram ampliados, lojas de artesanato e opala com maior esmero em seus produtos e capacitação em atendimento positivo mais evidente. Por mais que aconteçam alguns percalços em alguns estabelecimentos onde garçons tentam se aproveitar de turistas ou a proposta de aluguéis de mesas em locais públicos percebemos que o ambiente de festa que a cidade respira é totalmente diferente de 05 anos atrás, mesmo o festival estando em sua segunda edição, muita coisa mudou e pra melhor.

Fico feliz em poder presenciar a evolução de uma ideia e que hoje é sucesso, entretanto não sou otimista o suficiente pra dizer que ela se manteria sozinha, pois os maiores parceiros é quem realmente a fazem vingar, a iniciativa privada usa as mãos para aplaudir, apenas. Por mais que a maquiagem seja passageira e tenhamos consciência que aquilo não continue até a próxima edição, quem frequenta o Festival e quem visita a cidade em outras oportunidades sabe que Pedro II já não é mais um município potencialmente turístico, hoje merece destaque nos guias de turismo do Brasil e isso que isso foi ordem-mor além do festival.

Site: Festival de Inverno de Pedro II
Twitter: @FestivalPedro2

Anúncios