Continuando o post passado.

O sábado foi de maratona, o dia estava lindo, saímos cedo, pegamos um ônibus – o que não falta são ônibus e vans e são bem afinados com os destinos dos turistas, a passagem custa em média R$ 2,20 – paramos em frente a central do bondinho do Cristo Redentor em Cosme Velho.

Infelizmente a fila estava enorme e pagamos R$ 40,00/pessoa para irmos de van contra R$ 36,00 do bonde. Sem fila e com uma parada a mais de 30 minutos em dois pontos no Heliporto, antes de chegar ao Corcovado. O passeio é quase o mesmo, tirando o glamour do bondinho, sobra tempo e conseguimos aproveitar bem mais.

Dica: chegue cedo lá em cima e poupe tempo, stress em fila do IBAMA, aproveite pra comprar água (1,5L) na farmácia pois no percurso ela fica muito mais cara e leve dinheiro – tem um caixa rápido na farmácia da esquina – pois as vans só aceitam cash e os pontos de alimentação também, apenas lojas de souvenirs aceitam cartão de crédito, há trechos em que há elevadores e escada rolante.

Na volta fomos ao Jardim Botânico, a entrada é R$ 5,00 por pessoa e se estiver de carro mais R$ 5,00 por vaga no estacionamento do Parque. Conhecemos a Casa do Acervo Antônio Carlos Jobim e um pouco da trajetória e pertences do artista, aproveitamos pra levar alguns presentes para familiares na lojinha próxima ao restaurante, este por sua vez possui valores salgados para os mais simples lanches, entretanto se a fome realmente apertar torna-se uma boa opção. O parque é lindo, corredores largos, fontes, arcos, lagos, curiosas espécies da nossa flora e a imponência das palmeiras imperiais chamam bastante a atenção.

Fim de tarde, ainda chegamos a tempo para um passeio no pôr-do-sol no Pão-de-Açúcar no Morro da Urca, ainda sem almoçar, aproveitamos apenas para fazer um lanche na fila mesmo – há uma lanchonete dentro do espaço de atendimento. O passeio custa R$ 44,00 por pessoa, o atendimento e trânsito de pessoas é rápido e organizado, faz apenas 03 meses que mudaram para os bondes atuais e o funcionamento é perfeito, seguro. A primeira parada possui um anfiteatro, restaurante e uma estrutura para aproximadamente 500 pessoas com folga.

A segunda parada é impressionante, a vista perfeita, um passeio que será feito com certeza mais vezes, lá também possui restaurante e conta ainda com loja de souvenirs e uma loja de jóias, tem um senhor que aluga a luneta a R$ 1,00 por uns 10 minutos, muito justo além da visão macro à sua frente, torna-se bem peculiar ver algum ponto da cidade bem de pertinho.

Nosso destino na volta era próximo, ali em Copacabana, então valeu ter pego um táxi – R$ 20,00, pois o dia foi corrido. Almoçamos num boteco que parecia oferecer uma comida feita na hora e comprovamos, foi a melhor comida em toda a viagem, todos self-services ficaram no chinelo, sem falar em franquias e seus enlatados, ou seria a fome que estávamos naquele momento?!

Não demorou muito e ainda aproveitamos a noite, conhecemos a Lapa, uma certa decepção pela falta de conservação do ambiente e descemos mais um pouco até o Boteco da Garrafa, alguns drinks depois e voltamos felizes pois o dia foi produtivo.

Domingo de tirar uma onda, como diria alguns amigos: “Praia de Copa, mó solzão”. Alugamos apenas o guarda-sol a R$ 4,00 – cada cadeira de praia era R$ 2,00. Apreciamos a vista e prometemos voltar mais vezes ao Rio de Janeiro, encantados e satisfeitos, fizemos as malas e ainda aproveitamos para conhecer o Botafogo Praia Shopping, assistimos Bastardos Inglórios e mais uma vez agradecemos por ter dado tudo certo. Até o momento de embarque, que contarei depois pois esse post, também, já ficou extenso demais.

Anúncios